Sapatinhos Cor-de-Rosa

Para não fugir à regra, não podia deixar de me acontecer algo de inusitado!

Chegados ao nosso destino de férias, deixamos as malas no nosso apartamento e decidimos dar um mergulho no mar.

Vestimos os biquínis, os calções de banho e calçamos os chinelinhos de dedo.

Rumamos à praia, a não muitos metros, de toalhas na mão e demos uns belos mergulhos!

Eis senão quando começo a sentir um ardor nos dedos dos pés e pensei: “com a pressa talvez tenha-me cortado numa das várias conchas espalhadas pela areia …”

Com o entusiasmo dos primeiros mergulhos, depois de ter suportado os 42ºC que nos fizeram companhia na viagem, não dei muita importância.

Regressados ao nosso apartamento lá constatei que tinha umas bolhas nos dedos dos pés proporcionadas pelos meus chinelinhos de dedo!

No dia seguinte ao pisar a areia quente e macia comecei a sentir dores nos pés que aumentavam quando mergulhava no mar!

Bem, lá tentei tratar as bolhas com o que tinha e no dia seguinte decidi calçar umas meias para ir à praia: só que as meias eram de lã, de inverno e nós estávamos em pleno verão!!!

Era ver-me desfilar pela praia com aquelas meiazinhas de lã! Acho que nunca causei tanto impacto numa praia como quando desfilei com aquelas meias calçadas!!!!

Como as meias não resultaram decidi comprar algo que fosse mais adequado e causasse menos impacto nos veraneantes…

Em Vilamoura não consegui arranjar nada que servisse este meu propósito: não entrar areia para os meus pés, não causar atrito e consequentemente dor…

Dirigimo-nos então ao Algarve Shopping e consegui encontrar, numa loja de desporto, os meus sapatinhos cor-de-rosa!

Tinham sola de borracha que impedia o atrito e a fricção da areia e, de futuro, até poderiam servir para fazer um River Trekking!

Chegados a Vilamoura, calcei os meus sapatinhos cor-de-rosa e lá fui eu para a praia. Pensava eu que o impacto seria menor mas nem por isso: os banhistas continuavam a olhar para mim com um ar intrigado mas eu sentia-me muito confortável: já não me entrava areia para os pés! Dava os meus mergulhos com eles e estava toda satisfeita a aproveitar as minhas férias!

Nesse dia, o meu marido cheio de pressa para jantar, resolveu sair primeiro da praia e, como gentleman que é, levou o saco da praia com as toalhas mas lá dentro também estava o meu vestido!

Então era ver-me a desfilar pelas ruas de Vilamoura de biquíni e sapatinhos cor-de-rosa!

Os “estrangeiros” a saírem dos hotéis cinco estrelas, vestidos a rigor para jantar, e eu naquela linda figura!

Quem me viu, certamente deve ter pensado que eu não estava muito bem, mas o certo é que eu e os meus sapatinhos cor-de-rosa estávamos ótimos!

Nunca pensei “passear” nas ruas de Vilamoura com aquela indumentária mas já que não havia outra solução, o melhor era descontrair e rir da situação. Estava de férias e não ia stressar só porque o meu marido saiu da praia, levou a minha roupa e deixou-me apenas com o biquíni e os meus sapatinhos cor-de-rosa!

Há que saber rir de nós próprios e das situações embaraçosas que por vezes nos acontecem!

Se tiverem histórias caricatas não deixem de as partilhar connosco!

A Bela

One comment

  1. Bela, rir de nós próprios! Tão bom não é? A partir daí não há mais ninguém em nosso redor! A maturidade ensina-nos que tem (mesmo) bem mais piada do que ver os outros a rir ( de nós)! Talvez tenha sido o meu jeito trapalhão que me ensinou! Rio de mim sempre que caio! E não são poucas as vezes! Bastantes até, como diria a outra! É por isso que a pocahontas anda descalça! 👠

    Liked by 2 people

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s