O Reflexo do Espelho

As Miúdas Giras adoram partilhar e admiram outras experiências de vida. Foi neste espírito de partilha que decidimos criar uma rubrica mensal de miúda/o gira/o convidada/o, tornando o nosso blogue mais rico e variado.

O nosso convidado deste mês é Sérgio Amado, “escritor” nas horas vagas, dotado de um talento e sensibilidade escondidos mas que, de uma forma despretensiosa, decidiu presentear-nos com um dos seus vários “textos”. Apenas pretende despertar curiosidade pela leitura, memórias e, no limite, transportar os leitores para que (ou se) revejam em alguém que lhes é próximo, ou que já foi, ao longo da história das palavras…Desfrutem!

 

Prometeste-me um beijo, sentido.

            Para mim te insinuaste, como se mulher fosses.

            Desafias-me com esse sorriso. (só tu sabes qual é)

Acariciaste-me a face, e senti essa pele de seda,

que nem o mais empreendedor bicho da dita conseguiria produzir semelhante.

            Para depois,

te afastares, como se de rotina se tratasse.

É como eu fosse um peão nesses jogos duplos,

que apenas tu sabes as regras,

            pelo que vences-me sempre… 

            Mas eu persisto em querer-te conhecer.

Por vezes tão distante nos gestos,

e tão perto nos olhares.

Com esse teu jeitinho me desarmas,

 para depois, novamente, te afastares.

            Tão noviça, com esse ar inocente, mas já cheia de sabedoria da vida (como se isso fosse possível …)

            Caminhando com essa pose altiva, senhora do seu nariz, pois então…

            Mas em breve irás perceber, que neste rectângulo recortado,

            não existe lugar para nenhuma imperatriz. (veremos)

            Transbordas energia pelos poros,

Tens pressa de viver.

Mas não te esqueças,

            continuas a faltar ao prometido,

por isso, …

            Saio para a varanda.

            Preciso do ar marítimo nas minhas entranhas,

pois acalma-me.

Sinto o orvalho da noite e ouço as ondas a protestar. (não devem concordar comigo; estarei a ser injusto?)

Cai uma gota no vidro translúcido da noite, reflectindo e iluminando as tuas amêndoas escuras, deixando-me derreado. (mais uma vez)

Já percebi,

está na hora de reentrar na sala dos afectos.

Dirijo-me a ti, e envolvemos-nos, deliciados, numa comunhão de cumplicidade que, por ora, é só nossa,

e cujo calor, pelo menos por um segundo, chegaria para aquecer todos os corações gélidos do Mundo, perdurando, no entanto, por muitos Invernos.   

E eu digo-te:

Deixa lá, não te preocupes, (estraga-te a seda)

já cumpriste o prometido.

Tudo o resto é supérfluo … ou talvez não.

Venceste novamente.

 

3 comments

  1. Agradeço em nome de todos os que colaboram com este Blogue as suas amáveis palavras e temos muito gosto em contar com a sua amizade!
    Espero podermos continuar a contar consigo nesta caminhada!

    Gostar

  2. Quero agradecer ao convidado deste mês a amabilidade de colaborar com o nosso Blogue e partilhar connosco, e com todos os que nos seguem, um dos seus vários e belíssimos textos!
    É um “texto” diferente de tudo o que tinha sido publicado até agora e, por esse motivo, é que o tornou “ainda mais rico e variado”!

    Liked by 1 person

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s