A felicidade de uma rara noite de primavera

Foi um dos poucos dias em que consegui chegar a casa antes das 20h…

Jantamos mais cedo que o habitual e o calor que se fazia sentir lá fora convidava-nos a degustar a sobremesa na varanda da nossa sala.

Não resistimos: fomos saborear um gelado, o primeiro desta época do ano, e sentir aquele ar quente, sem vento, de um entardecer que já tardava em aparecer…

Nessa primavera, que mais parecia inverno, fomos brindados com uma daquelas noites que só aparecem muito ocasionalmente, mesmo em pleno verão!

Ali, a contemplar o mar, na companhia do meu marido e dos meus filhos, depois de mais um árduo dia de trabalho, sentia-me feliz!

A amena cavaqueira, as pequenas brincadeiras e as risadas naquele entardecer/anoitecer de primavera não poderiam ter ocorrido em melhor altura…

O sol a deitar-se no mar infinito e a anunciar um dia semelhante invadiu-me de uma enorme sensação de bem-estar!

Deixamos-nos ficar a desfrutar esse momento, que aos olhos de alguns pode ser algo corriqueiro e insignificante, mas que para mim foi muito especial, dada a sua raridade e simplicidade…

Lá chegou a hora de deitar as crianças e tratar dos afazeres habituais: separar as roupas para o dia seguinte, verificar as mochilas para a escola, arrumar a cozinha, tratar de um ou outro assunto pessoal que não se consegue tratar durante um dia de trabalho…enfim…

Crianças a dormir e tarefas cumpridas, chegou a hora de continuar a aproveitar aquela rara noite de primavera mas agora na companhia apenas do meu marido! Sim, porque são essenciais estes momentos a dois!

Ficamos aninhados nas nossas confortáveis cadeiras, aproveitando para colocar a conversa em dia, acompanhados pela brisa quente que se fazia sentir, pela lua espelhada no mar e pela suave dança das folhas num bailado improvisado…

IMG_2891 (3)

De quando em vez, o silêncio… e apenas os olhares … tão bom…

Nem apetecia ir dormir ou, melhor, apetecia adormecer ali … mas o dever chamava-me baixinho, sussurra-me ao ouvido e convidava-me a repousar na minha cama para repor as energias para o desgastante dia de trabalho que me aguardava…

Certamente não terei a sorte de deleitar-me com muitas mais noites assim pois essa primavera envergonhada não o permitiu e o verão ainda não sei se chegará…

Mas esse momento foi delicioso e valeu por si só pois banhou-me de profunda felicidade e tranquilidade… não é preciso muito para sermos felizes: basta permitir que a felicidade das pequenas coisas da vida nos invada e tome conta de nós nem que seja por breves instantes!

Estava tão feliz que dei por mim a escrever algumas destas breves palavras para partilhar convosco pois quando a felicidade é partilhada torna-se ainda maior!

A Bela

3 comments

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s