A importância do Cocó «da Cinderela»  

Desculpem a provocação de vos lembrar que a Cinderela também faz cocó, mas só a consciencialização disto já é tão interessante que não resisto em escrever. Ter a consciência que tanto o mendigo quanto a princesa fazem cocó, humaniza-nos, torna-nos tão iguais e comuns, que faz com que o cocó nos ensine mais do que nós alguma vez pudemos imaginar «Excepto a Freud, que sabe tudo sobre cocó».

Mas não é sobre essa aprendizagem que o cocó nos dá que vos quero falar hoje, é sobre outra «outra?» :).

Julgo que todos nós ao longo da vida passamos, mais ou menos, pelas mesmas fases, experiências ou aprendizagens, uns mais cedo, outros mais tarde… outros mais tarde «e espero mesmo que haja outra vida, pelo tanto que fica por aprender nesta». Isto para vos dizer que eu passei uma fase intensa de me querer conhecer melhor, através de introspecção, livros de auto ajuda, técnicas de auto conhecimento e por aí fora.

A certa altura, surgiu um exercício que sugeria anotar num papel todas as coisas que me deixavam feliz, satisfeita, que me transportavam para um pólo positivo. Tipo uma lista da felicidade. E assim fui eu anotando, devagar, sem grau de importância, à medida que ia acontecendo «exactamente como previa o tal exercício».

Primeira grande descoberta; eu não estava atenta a metade das coisas que me fazem feliz. Incrível, não é? Parva! Eu.

Segunda grande descoberta; a simplicidade da minha lista. Fiquei tão feliz comigo.

Conclui por fim, que é muito importante termos consciência daquilo que nos faz feliz, para investirmos e prolongarmos mais um pouco esse tempo, para repetirmos, uma e outra vez, e devagar. Para não tornarmos os nossos prazeres em afazeres automáticos.

Vou confidenciar-vos aqui alguns pontos da minha lista da felicidade. Alguns, claro!

  • “Ver”, sentir que os “meus” estão bem.
  • Dormir bem – dormir cedo – espreguiçar.
  • Deitar-me no sofá no início da noite – ver uma serie
  • Abraçar os meus rapazes – sentir os seus cheiros.
  • Comprar uma roupa nova – sentir-me confortável
  • Tomar o pequeno almoço na cama – Tomar café
  • Tomar café
  • Estar sozinha – ter tempo – fazer com tempo – apreciar
  • Sol – sentir o sol
  • Tomar banho de mar – sentir o sal
  • Desporto
  • Viajar
  • Tomar banho – hidratar a pele – cheirar bem
  • Dolce far niente
  • Humor – Rir
  • Comer bem – Jantares especiais
  • Obrar diariamente – Sim isso, fazer cócó

E cá chegamos nós novamente, ao cocó. Nunca, mas nunquinha, que eu imaginaria pôr na minha lista da felicidade fazer um “bom” cocó diariamente, mas o que é certo é que lá está ele. «Já experimentaram? É mesmo muito positivo».

E foi este ultimo ponto, the last but not the least, que me fez pôr algumas coisas em perspectiva, relativizando-as.

Quando me preocupo ou chateio com alguma coisa, penso muitas vezes se aquilo é importante para satisfazer a minha lista da felicidade, penso: até que ponto aquele assunto é mais importante que cocó, entenda-se, que o meu cocó.

Se não for, então concentro-me em coisas importantes;  no meu cocó, e vou beber água, comer uma salada de abacate, beber um activia, sei lá, ou fazer uma caminhada.

princesa sanita

Cinderela

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s